Um pouco sobre nós...

Encontra tudo o que precisas

 

Julho 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Momentos recentes

O Pai e a Mãe de Joana

Todos os momentinhos

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

tags

a lua de joana

a minha comunidade

avó jú

cão

challenge

diogo e rita

droga

encenação

entrevista

ex-toxicodependentes

final

informação

joana

maria teresa maia gonzalez

marta

obrigada

opinião

pai e mãe de joana

parabéns

poema

pré-histórico

qna

reportagem

resultados

resumo

rtp

sapo challenge

slogan

sonho qna fim

todas as tags

Momentos fotográficos

subscrever feeds

Links

As QNA ganharam uma das 10 escolas do futuro. Obrigada a todos!

Domingo, 18 de Fevereiro de 2007

O Pai e a Mãe de Joana

Outras duas personagens de grande relevo na “Lua de Joana” são o pai e a mãe de Joana. Personagens que influenciam em muito o comportamento de Joana. Vamos através da sua caracterização fazer uma breve apresentação.
 
O Pai e a Mãe:
 
Joana não se sente apoiada em casa. O seu pai é médico e trabalha horas e horas sem fim no seu consultório…Mal tem tempo para a filha e nem repara nos seus problemas. É ele quem acaba por descobrir todas as cartas escritas por Joana à sua amiga e só aí, percebe o que a sua filha passou, o que sentiu, o quanto gostava que ele tivesse uns segundinhos para ela ou apenas um sorriso.
“Agora, tinha todo o tempo do mundo. Para quê?”, aqui dá-se a percepção do quão importante era todo aquele tempo que poderia ter dedicado à filha em vez de estar fechado longas horas no seu consultório.
 


 
A mãe da de Joana vivia envolvida com a moda, com a sua loja…Vivia em torno dos vestidos e acessórios de moda. Também ela não dava o devido apoio à filha, também ela não se apercebeu do problema a tempo, também ela, de certo modo, contribuiu para o desfecho trágico da filha.
Tal era o envolvimento entre tecidos e retalhos que nem a própria mãe conhecia os gostos da filha, não sabia o que a fazia feliz, os seus interesses e os planos que tinha para o seu futuro.
De mais perto ou de mais longe, todos nós conhecemos casos de pais ausentes, pais que deixam os filhos sozinhos à descoberta do mundo, pais que põem o trabalho acima de tudo e não dão o devido valor e protecção àqueles que geraram e deveriam dar o melhor.