Um pouco sobre nós...

Encontra tudo o que precisas

 

Julho 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Momentos recentes

Talvez, final...

"A minha comunidade"

Agradecimentos

OBRIGADO!

Um Sorriso...

Falta pouco...

Tudo o que o sapo challen...

Entrevista a ex-tocicodep...

Personagens

A lição de toda a obra

Encenação de um excerto d...

Slogan Publicitário

A Droga

O Cão

"Pré-Histórico", irmão de...

Parabéns

Todos os momentinhos

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

tags

a lua de joana

a minha comunidade

avó jú

cão

challenge

diogo e rita

droga

encenação

entrevista

ex-toxicodependentes

final

informação

joana

maria teresa maia gonzalez

marta

obrigada

opinião

pai e mãe de joana

parabéns

poema

pré-histórico

qna

reportagem

resultados

resumo

rtp

sapo challenge

slogan

sonho qna fim

todas as tags

Momentos fotográficos

subscrever feeds

Links

As QNA ganharam uma das 10 escolas do futuro. Obrigada a todos!

Quarta-feira, 28 de Fevereiro de 2007

O Cão


Lucas, não era mais do que um cãozinho abandonado até ao dia em que Joana, enquanto passeava pela rua o encontrara acabando por levá-lo para casa. Joana, acabou por encontrar no animal um refúgio de carinho e atenção que tanto lhe faltava por parte da família e amigos.
 
 

               
Em certas alturas era o único que lhe fazia companhia enquanto os adultos viviam rodeados de trabalho e problemas.
tags:

"Pré-Histórico", irmão de Joana

               
Um jovem perturbado. Toda a família se preocupa com ele., talvez porque adquiriu um estilo diferente ao qual não estavam habituados. Não estuda, e corre risco de chumbar o ano pela segunda vez consecutiva.
As suas idas constantes ao psicólogo parecem piorar a situação, segundo o psicólogo ninguém o pode contrariar.
 

 
É anti-social, mas por vezes a Joana lá lhe consegue arrancar umas palavras, apesar de muitas vezes não perceber o que ele diz.
O excesso de atenção dada ao jovem pela família contribui para que Joana se sinta ainda mais sozinha.
 
 
Terça-feira, 27 de Fevereiro de 2007

Parabéns

PARABÉNS A NÓS! E agora perguntam vocês: “Parabéns porquê?”. Faz hoje um ano que depois de algumas tardes de estudo nasceu o nosso grupinho. Faz hoje um ano que, após uma conversa cheia de sorrisos demos nome a toda esta união. Foi um ano perfeitinho, por tudo, os bons e os maus momentos. Ah! Mas as coisas não ficam por aqui…Parabéns à Mané, Carolina e Maria que juntamente com a Ana Raquel ganharam o 1º lugar no "COMPAL air" hoje na escola!
 
tags:

Opinião da Patrícia

Patrícia:
"A Lua de Joana”…Foi já há uns anitos que me deixei levar por toda a história desta obra. Li a primeira vez e adorei. Não só por toda a história que conta, mas também pela maneira como toda a história é descrita. De uma forma simples a autora cativa-nos e prende-nos à leitura. A história de Joana é um exemplo de tantas histórias semelhantes que acontecem todos os dias na nossa sociedade. Devido à influência de amigos, a problemas que querem esquecer, a situações conflituosas a nível familiar, os adolescentes ou até adultos acabam por entrar neste Mundo tão escuro. Marta, foi um exemplo destes casos. Joana sofreu imenso com toda esta situação, afinal Marta era a sua melhor amiga. Como se isso não chegasse, Joana tem uma família ausente. A única pessoa que ainda a compreendia, a sua avó, acaba também por falecer. Apenas o irmão da falecida Marta ainda a ouvia. Sentindo-se ambos frágeis e sem se conseguirem apoiar um ao outro acabam também eles por entrar no terrível mundo da droga.
Na verdade, toda a história nos pretende alertar para algo que todos os dias passa tão despercebido nas nossas vidas. O nosso relógio não pára e é terrível a forma como só quando algo corre mal as pessoas reparam no tempo desperdiçado. Comecem a tentar aproveitar cada minuto da vossa vida. Ninguém sabe o que acontecerá amanhã. Aproveitem o tempo com a família, com os amigos, com todos. Digam tudo o que sentem. A história “A Lua de Joana” é apenas um exemplo de como o tempo é precioso. Num instante tudo pode mudar e nesse momento a única coisa boa que podemos guardar é a certeza que aproveitamos o tempo da melhor maneira que sabíamos.
Quem não leu, descubra o que guardamos no nosso blog e depois vão ter com toda a certeza uma enorme vontade de ler. Deixem-se levar pelas páginas e por toda a magia em que a autora nos consegue envolver.
 
tags:

Opinião da Ana Carolina

Ana Carolina:
Muitas são as historias com finais felizes, muitas são as vezes em que ouvimos os épicos finais “…e tudo acabou bem!”, “…e viveram felizes para sempre!”, e na vida, quantos são os segundos, as horas os dias que presenciam finais felizes. Quantos são?
É um diário, não uma história, é uma realidade, não uma ficção, é uma vida que perdeu a cor, a alegria, o encanto, o amor por ela própria e pelo mundo. Arrependeu-se do caminho que seguia, tentou encontrar atalhos que lhe devolvessem a sua vida, a sua liberdade, mas tudo acabou por ser em vão. É um livro que me comoveu, que me revoltou, fez-me questionar, fez-me duvidar, fez-me acreditar que eu, uma simples leitora, poderia salvar a Joana.
Talvez seja essa a mensagem que a autora quer despertar a quem tem o privilégio de ler a obra, despertar o palco da consciência e fazer de cada um de nós verdadeiros artistas na arte de fazer a escolha certa, na arte de acreditarmos em nós mesmos, na arte de sermos felizes e de ajudarmos os que nos rodeiam para que nunca fiquem dependentes, para que nunca percam a liberdade!
 

Opinião da Mariana

Mariana:
Livros simples. Livros rebuscados. Livros finos. Livros volumosos. Livros entusiasmantes. Existe de tudo um pouco neste mundinho tão pequeno como o nosso.
 “A Lua de Joana” é um livro simples mas cheio de conteúdo… Um livro para todas as idades, para quem gosta de ler e/ou simplesmente se interessa por problemas actuais da nossa sociedade.
Ente conjunto de páginas leva-nos até a um mundo obscuro, o mundo da droga, onde a vontade de saciar um vício é superior á própria vontade de viver.
Quantas vezes não nos deparamos com este problema ‘ao virar da esquina’? Quantas vezes assistimos a casos fatais como o do livro? Algumas, certamente. Nada disto é utopia. E como ajudar essas pessoas? Embora o livro nos transporte para o lado mais fatal dos casos, também podemos ter outras interpretações como, por exemplo, a importância da família e dos amigos nestes e noutros momentos.
É um livro fácil de ler mas cheio de conteúdo real com os quais lidamos diariamente. São páginas e páginas seguidas e encadeadas de forma a entusiasmar o leitor e fazendo-o pensar acerca destes problemas.
Em suma, é o livro simples, entusiasmante e em bom português.
tags: